Página principal Notícias, Blockchain, Criptomoedas
Tema do momento
22 Maio
222 222

O maior banco do Japão, o Mitsubishi UFJ Financial Group, co-desenvolveu uma nova blockchain para aumentar a velocidade e reduzir o custo de transações — em parceria com a Akamai, tecnológica estadunidense. A mesma será capaz de lidar com 1 milhão de transações por segundo, com latência inferior a 2 segundos.

Os parceiros esperam que o serviço seja capaz de gerir 10 milhões de transações por segundo à medida que forem introduzindo melhorias à tecnologia. Em contraste, se destaca que a Bitcoin, a maior criptomoeda do mundo, é capaz de processar sete transações por segundo com latência que pode exceder os 10 minutos.

Ao contrário da blockchain da Bitcoin, a blockchain criada será alvo de «permissão» à participação — somente computadores verificados poderão se juntar à rede que solicita e confirma os pagamentos (transações). Se destaca ainda que a blockchain foi criada com recurso ao serviço da Akamai na nuvem, a Akamai Intelligent Platform.

De fato, a tecnologia blockchain tem sido um tema quente entre bancos e empresas que procuram renovar as suas bases de dados. A tendência tem atraído o interesse de grandes nomes como o JPMorgan Chase, a Walmart, a IBM, a Maersk, a Daimler, a Airbus e várias outras empresas — dos mais diversos setores de atuação.

«A indústria financeira tem procurado usar a blockchain para garantir e acelerar o processamento de transações, reduzindo os custos associados,» afirmou Nobuyuki Hirano, presidente e diretor executivo do banco, em comunicado. Hirano está confiante de que a tecnologia irá proporcionar «volumes significativamente maiores de transações (…) sem comprometer o nível de segurança exigido para combater transações fraudulentas.»

Andy Champagne, diretor de tecnologia da Akamai Labs, unidade de I&D da tecnológica, avançou que espera que a blockchain co-criada com o banco japonês venha a pavimentar o caminho para «transações tipo micropagamentos» como um pagamento «pequeno» para ler um artigo online ou pagamentos associados à «Internet das Coisas».

«Esperamos avançar na aplicação da rede de pagamentos com o Mitsubishi no início de 2020,» afirmou Champagne.

Fonte: Fortune

Leia também:
Por favor, descreva o erro
Fechar