Página principal Notícias, Criptomoedas
Tema do momento
3 Agosto
157 157

Os usuários de plataformas de câmbio de criptomoedas nos Estados Unidos, na Rússia e na China têm sido as vítimas mais comuns de ataques cibernêticos relacionados com criptomoedas — é o avançado por um novo estudo conduzido pelo russo Group IB, perito em cibersegurança. Uma em cada três vítimas é proveniente dos Estados Unidos.

Os especialistas concluíram que entre 2016-17 aumentaram em 369% os casos em que se comprometeram dados privados de indivíduos usando plataformas de criptomoedas. Entretanto, o recorde foi estabelecido em janeiro de 2018, altura de maior rebuliço no setor, quando o número de incidentes aumentou em cerca de 700% em comparação com a média mensal de 2017.

Os peritos acreditam que a maioria das violações se deve à atitude descuidada dos usuários das plataformas quanto à própria segurança. Porém, acrescentam que os programas maliciosos usados por ciber-criminosos estão sempre evoluindo e aumentando — e que as respetivas ferramentas são atualizadas com frequência.

Fonte: Bitcoin.com

Leia também:
Por favor, descreva o erro
Fechar
Fechar
Obrigado pelo seu registo
Faça "curtir" a esta página para que a gente possa continuar a publicar artigos interessantes gratuitamente